Portuguese English French German Italian Spanish
Get Adobe Flash player

Uma Grande Caminhada

 

netos

 

O início da minha carreira profissional deu-se muito cedo. Ainda antes de ter idade para trabalhar, durante as férias grandes da escola comecei a trabalhar numa tipografia aqui da cidade onde um familiar trabalhava. Na cidade de Loulé quem não conheceu a Gráfica Louletana? Detentora do jornal “A voz de Loulé” e do seu fundador, José Maria da Piedade Barros. A este senhor devo a minha gratidão por muito daquilo que hoje gosto de fazer. Escrever. Esta tipografia já não existe. O meu antigo patão e amigo está entre, os anjos lá no céu. O Jornal ainda com o mesmo nome pertence a outras pessoas.

Depois de propriamente sair da escola no ano de 1981 comecei a trabalhar na empresa José Guerreiro Neto & Filho, fundador da empresa onde ainda hoje trabalho, na secção de carpintaria. Primeiramente o que fazia não era senão o que os mestres não queriam fazer, ou aquilo que carecia de uma ajuda, ou ainda para, segurar numa ou noutra peça que estava a sair do outro lado da máquina. Basicamente era ajudar os mestres em trabalhos irrelevantes. Algum tempo depois passei a carpinteiro de 2ª, onde já podia fazer alguns trabalhos de qualidade aceitável.

Desde cedo mostrei competências na feitura de trabalhos de carpintaria com algum grau de perfeição.

Quando fui promovido a oficial de 1ª ou carpinteiro de limpos 1, já mostrava organização e conhecimento suficiente para poder estar à frente de uma equipa de pessoas.

Entretanto os netos do fundador passaram a trabalhar na empresa e esta passou a chamar-se José Neto & Filhos Ld.ª. Era a terceira geração e com novas maneiras de funcionalismo. Dinamizaram o nome da empresa para Netos, construtores. Comercialmente soa melhor ao ouvido. Foi no ano de 2010 que a empresa celebrou 50 anos de existência.

Esta data é um marco para qualquer empresa familiar que se prese. 50 Anos é muito tempo vivendo da construção civil, obras públicas e privadas. Deixo aqui o link da home page da casa onde tenho passado os meus últimos trinta e poucos anos como dedicado funcionário. http://www.netos.pt/pt/index.htm

A empresa no seu historial mais remoto conta com obras públicas de relevo na região, escolas primárias e pontes. A ponte nova de Loulé/Querença é exemplo disso.

Depois veio a febre das agências bancárias. No Algarve e Alentejo a empresa abri-o e remodelou espaços para essa finalidade. Eu percorri o Algarve de Vila Real de Santo António a Sagres. O Alentejo de Santiago do Cacem a Reguengos de Monsaraz passando pela cidade de Beja onde estivemos 3 anos construindo vários edifícios onde no rés-do-chão nascia mais uma agência bancária. Tenho a minha marca pessoal em dezenas de espaços bancários por onde tenho trabalhado. Foram anos de ouro, crescimento, empreendedorismo e muito dinheiro que se ganhou nessa altura. O nosso Escudo era a nossa moeda por excelência para produzir riqueza e dar prosperidade a quem do trabalho fazia a sua arma de guerra.

Há alguns anos atrás houve a necessidade da empresa se dedicar a um nicho de mercado mais específico e rentável. A construção e remodelação de moradias de luxo nas zonas nobres do nosso concelho. Quinta do Lado e Vale do Lobo são atualmente o foco principal da nossa atividade. Paraíso para estrageiros com muito dinheiro para investir numa casa de férias bem situada, bonita, moderna e bem cuidada. À volta deste negócio concentram-se arquitetos, engenheiros paisagistas, decoradores, empresas de prestação de serviços ligadas ao sector da construção civil. É um mundo de oportunidades crescente vocacionado para satisfazer o mais exigente cliente que paga bem e como tal é tratado à altura da sua carteira.

 A empresa Netos, construtores tem aqui um nome a defender. A nossa publicidade são os próprios clientes que passam palavra. Desta relação amistosa e de compromisso nasce uma empatia quase instantânea, que nos permite ter uma carteira de clientes privilegiados e selecionados que sabem poder contar com os nossos serviços por muitos anos, sem sobressaltos.

Falando de mim e da minha experiência profissional, sinto orgulho em pertencer a esta equipe de mestres altamente qualificados naquilo que cada um tem como especialidade conquistada ao longo da muita experiencia na área específica do dia-a-dia.

O meu trabalho diário consiste em orientar uma seleta equipe de dez carpinteiros conhecedores da arte de bem trabalhar a madeira. Pessoalmente, interpreto plantas de carpintaria ou plantas gerais de obras, descodifico plantas de móveis ou obras completas, e ponho-as em andamento contado para a realização atempada e calculada dos prazos de entrega de pequenos ou grandes projetos em que a empresa esteja envolvida.

Começo por desenhar pormenores das madeiras, tirar medidas, confirmar medidas em obra, encomendar ou ir comprar materiais. Discuto estratégias com superiores e oriento a minha equipa. Aqui testemunho competências em linguagem e comunicação. Faço qualquer remodelação, desenhada pelos arquitetos, e zelo pela satisfação do cliente. No meio de tanto empenho que me ocupa as oito horas diárias, por vezes sinto-me ignorado e subaproveitado. Sinto que sou capaz de dar muito mais. Apenas não me é dada a oportunidade de mostrar competências.

 

netos_1